Ditos populares
Adágios, ditos ou provérbios são expressões populares que ninguém sabe ao certo quando e como surgiram, porém atravessam a história, sendo transmitidos de geração a geração. São reflexões, muitas vezes sábias, realistas e, normalmente, repletas de humor e ironia sobre a vida cotidiana da coletividade. São frases breves, metafóricas e anônimas que, em grande parte das vezes, manifestam uma opinião sobre as condutas humanas.

 Os provérbios tratam de diversos temas ou assuntos, por isso podem ser aplicados às mais diferentes situações e contextos.

 Alguns passam mensagens interessantes, rimadas, que servem para reflexão e focalizam ensinamentos. Como exemplos, podemos citar:

               "Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura"   

 Por outro lado, muitos dos ditos populares também trazem consigo, julgamento moral e crendices que devem ser questionados. São exemplos:


•   "A boca de uma mulher nunca tira férias!"
•   "Entre a feia e a formosa, escolhe-se a presunçosa"
•   "Mulher de cego, se é direita, não se enfeita!"
•   "Casa-te e verás, perdes o sono e nunca dormirás"
•   "Mulheres e postes se encontram aos lotes"
•   "Mulher chorosa, mulher fogosa"
•   "Mulher e dinheiro mostrados estão em véspera de serem roubados"
•   "Mulher de janela fala de todos e todos falam dela"
•   "Mulher muito formosa ou é boa ou é presunçosa"
•   "Mãe acautelada, filha guardada"

A tradição e a cultura do povo devem ser respeitadas e preservadas, entretanto, cabe-nos também olhar crítico frente a afirmações que denotam padrões culturais arcaicos ou preconceituosos.

Fonte(s):


•   BRANDÃO, I.L. Quem é correto não é corrigido. O Estado de São Paulo - Caderno 2. São Paulo - SP; 10/10/2003, p.D16.