Mutilação genital feminina aumenta problemas obstétricos
Um trabalho desenvolvido com pacientes de centros obstétricos de seis países africanos concluiu que mulheres que sofreram mutilação genital são mais propensas a complicações obstétricas. Essas complicações seriam tanto mais graves quanto mais extensas as mutilações, de acordo com o estudo publicado na revista médica britânica The Lancet.

As mutilações foram classificadas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), com base nas regiões acometidas.

A mutilação genital feminina (ou circuncisão da mulher) é prática comum em alguns países da África. Geralmente é praticada sem as devidas condições de assepsia, o que pode resultar em infecções que se disseminam por todo o trato genital.



Fonte(s):


•   Revista Médico Repórter. Ano 8, nº 78, Setembro de 2006; p. 45.

Eke N, Nkanginieme K. Female genital mutilation and obstetric outcome.
•   The Lancet June 2006;367(9525):1799-1800.