Tratamento da ejaculação precoce
A ejaculação precoce é o transtorno sexual em que o homem ejacula (elimina esperma pelo pênis) antes do momento que gostaria. Geralmente ocorre após rápida estimulação sexual e antes ou logo após a penetração do pênis na vagina. Este transtorno causa acentuado sofrimento para o homem ou dificulta, de forma importante, seus relacionamentos (1).

Uma vez reconhecido este transtorno, que pode estar presente em até 29% dos homens (2), há meios de se melhorar o controle ejaculatório e, por conseguinte, a qualidade de vida sexual.

O tratamento leva em consideração a duração do transtorno. Homens que apresentam ejaculação precoce desde o início da vida sexual melhoram bastante quando fazem psicoterapia, especialmente aquela voltada para mudança de alguns hábitos sexuais.

O terapeuta buscará com ele estratégias para melhor controle sobre a ejaculação o que inclui maior atenção às atividades sexuais anteriores à penetração.

Estimula-se o prazer em dar e receber toques em várias regiões do corpo e em descobrir quais áreas são mais prazerosas. Durante esses exercícios, o casal vai adquirindo mais intimidade e a comunicação aumenta. O foco de atenção não é mais "se a ejaculação poderá ou não ser controlada" e sim a sensação prazerosa. O homem também aprende a perceber qual o momento em que está prestes a ejacular e a adequar o ritmo e a velocidade das carícias.

Para aqueles que passam a apresentar o problema após um período de controle ejaculatório satisfatório, o terapeuta trabalhará a vida afetivo-conjugal, profissional e sua capacidade de relaxar. Psicoterapia individual ou do casal e medicamentos que ajudam a controlar a ejaculação poderão ser necessários.

Tais medicamentos são chamados antidepressivos. Atuam não só combatendo a depressão (que pode ou não estar presente), mas reduzindo a ansiedade (geralmente alta) e retardando a ejaculação.

Procurar conversar abertamente com a parceira é o primeiro passo. Após isto, a ajuda médica deve ser considerada, pois o médico indicará o tratamento mais adequado, de acordo com as características do homem e da sua parceira sexual.

Fonte(s):


•   (1) APA (American Psichiatric Association) - Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM IV). 4ª edição. Porto Alegre: Artes Médicas;1995.
•   (2) Laumann EO, Gagnon JH, Michael RT, Michaels S. - The social organization of sexuality : Sexual practices in the United States. Chicago: University of Chicago Press; 1994.