Mulheres testam "máquina do orgasmo"
Nos Estados Unidos, um cirurgião está patenteando um dispositivo que, segundo, ele é capaz de promover orgasmos em mulheres. Apelidado de "orgasmatron", trata-se de um pequeno aparelho constituído de eletrodos colocados na medula espinhal e conectado a um acionador, implantado na pele.

Segundo o cirurgião, Dr. Stuart Meloy, do Piedmont Anesthesia and Pain Consultants, em Winston-Salem, na Carolina do Norte, o aparelho foi descoberto durante um tratamento que estava realizando em uma paciente portadora de dor lombar crônica e severa. Quando o cirurgião procurava um ponto específico, em determinado feixe de nervos, a paciente emitiu um gemido de prazer. Estes nervos levam as informações das sensações do corpo para o cérebro. Após o procedimento, a paciente comentou que gostaria que o médico ensinasse seu marido a fazer o mesmo.

Os pequenos impulsos elétricos foram capazes de desencadear um orgasmo, como que acionando um botão. O Food and Drug Administration (FDA), órgão americano responsável pela regulação e controle de alimentos e drogas, aprovou os testes clínicos iniciais com o aparelho. Segundo o cirurgião, que procura mais oito voluntárias para testá-lo, a primeira voluntária apresentou resultados animadores. Ele afirma que ela não apresentava orgasmo há anos e com o uso do aparelho foi capaz de obter vários, ao longo dos nove dias que o teve instalado em seu corpo.

Apesar do aparelho lembrar o "orgasmatron", criado pelo cineasta e diretor americano Woody Allen, no filme "Sleeper", Meloy acredita que o mesmo poderia ser usado temporariamente em algumas mulheres, a fim de que possam recuperar sua resposta sexual.

Muitos especialistas estão ainda bastante céticos em relação a essa nova descoberta e afirmam que o "clássico" vibrador apresenta os mesmos resultados. Somente após todos os testes clínicos serem completados, poderemos ter idéia da segurança e eficácia deste aparelho. O implante completo custa em torno de 22.000 dólares.

Fonte(s):


•   Agência de informações Reuters (Londres), 26 de novembro de 2003.