Universidade aberta para a maturidade trata da sexualidade
No Brasil, a qualidade de vida do idoso é uma preocupação recente. A Pontifícia Universidade de São Paulo (PUC-SP), através do Núcleo de Estudos do Envelhecimento, deu início, em 1996, à Pós-Graduação em Gerontologia e também conta com a Universidade Aberta para a Maturidade. Esse Curso, implementado em 1991 pelo sociólogo Antônio Jordão Netto, teve início com apenas 80 alunos e trinta horas de duração. Em 2001, eram 300 alunos inscritos em Curso com dois anos de duração.

A grade curricular da Universidade Aberta para a Maturidade se divide em módulos diferenciados, voltados para:

1) Reciclagem cultural e sócio-educativa;

2) Dicas de saúde e orientação para uma vida saudável.

Por meio de palestras com especialistas em geriatria, nutrição, fonoaudiologia e psicologia, esses objetivos são atingidos. Demais informações podem ser obtidas através do telefone ou do website citado no final desse texto.

Com relação ao perfil dos alunos matriculados na Universidade em 2001, 99% eram mulheres, viúvas e donas de casa. Essas "senhoras", que pertencem a uma geração que recebeu poucas possibilidades de estudo e de participação no mercado de trabalho, agora contam com a oportunidade de aprenderem ou de reciclarem seus conhecimentos sobre temas de interesse pessoal e, mais importante ainda, usufruem da enriquecedora convivência com um grupo de pessoas da mesma faixa etária.

Nesse grupo, as questões do amor e da sexualidade na maturidade também são abordadas e desmitificadas ao longo do Curso, que procura informar e trabalhar o falso conceito de que sexo é privilégio dos jovens. Conforme relato do criador da Universidade: Amor é privilégio do ser humano!!!

Universidade Aberta à Maturidade

Informações na Cogeae

Telefone: (11) 3873-3155

Website: http://cogeae.pucsp.br

Fonte(s):


•   Jornal da PUC. 1ª quinzena, novembro de 2001, pág. 9.