Quadro clínico da disfunção erétil
A disfunção erétil é a dificuldade persistente e repetitiva de obter e/ou manter a ereção do pênis por tempo suficiente para a conclusão da atividade sexual.

Vale ressaltar que dificuldades de ereção podem ocorrer eventualmente. Nesse caso, não se trata de uma doença. Quando a situação se repete por várias vezes e acaba por levar a sofrimento pessoal e dificuldades no relacionamento é que dizemos haver uma disfunção sexual.

No Brasil, estima-se que aproximadamente 47% dos homens apresentam algum grau de disfunção erétil, segundo estudo coordenado pelo Projeto Sexualidade (ProSex) - USP, e pelo Instituto Osvaldo Cruz (BA), em 7 estados brasileiros no ano 2000, com apoio Pfizer. Nos EUA, mais de 20 milhões de homens apresentam esse problema.

As causas para disfunção erétil podem ser orgânicas, psicológicas ou mistas, sendo esta última a mais comum.

As causas orgânicas são aquelas que o médico identifica através de exame físico e/ou de laboratório ou quando detecta o uso de algum medicamento ou droga ilícita que prejudica a função sexual.

Algumas doenças como hipertensão arterial sistêmica, diabetes e aumento do colesterol são causas comuns de disfunção erétil de origem orgânica. Essas doenças levam, a longo prazo e quando não tratadas, ao processo de "entupimento das artérias", conhecido como aterosclerose. Essa pode acometer as artérias do pênis e prejudicar a passagem de sangue necessária à ereção. Anti-hipertensivos, anti-depressivos e sedativos são medicamentos que geralmente podem provocar dificuldade de ereção. Tabagismo e uso excessivo de álcool também podem causar disfunção erétil.

As causas de origem psicológica são aquelas não identificáveis por meio de exames. Apesar dos mecanismos fisiológicos estarem em condições normais, a ereção encontra-se prejudicada.

A dificuldade de ereção, neste caso, ocorre geralmente por ansiedade em relação à atividade sexual, medo do fracasso, preocupações acerca do próprio desempenho sexual, depressão, dificuldades pessoais (por exemplo crise financeira, perdas, etc.).

As causas mistas são aquelas em que existe um componente orgânico identificável que por si só não levaria a uma dificuldade de ereção, mas que associado à ansiedade, ao perfeccionismo, à preocupação excessiva ou à depressão é suficiente para provocar esse problema.

Reconhecer a dificuldade, conversar com a parceira e procurar ajuda são iniciativas fundamentais para aqueles que estão apresentando essa disfunção.

Fonte(s):


•   Equipe do Site