Disfunção orgásmica feminina
Definição

Inibição recorrente ou persistente do orgasmo feminino, manifestado por ausência ou retardo do orgasmo após uma fase de excitação sexual, adequada em termos de foco, intensidade e duração. Porém, não se considera essa inibição como anorgasmia se a mulher é capaz de atingir o orgasmo através de manipulação do clitóris (6). Há, em decorrência desta disfunção, sofrimento e dificuldade interpessoal (2).

Freqüência

Considera-se que a disfunção orgásmica feminina seja freqüente, com prevalência estimada em 30,0%. É uma disfunção mais comum entre mulheres do que entre homens (1,3,6).

Alguns Fatores Relacionados

Há fatores biológicos relacionados a esta disfunção, pois observa-se que a capacidade orgásmica da mulher geralmente aumenta ao longo de sua vida (6). A maior capacidade orgásmica estaria relacionada à precocidade do primeiro intercurso sexual. Considera-se, também, a existência de relação entre menarca tardia e menor freqüência ou ausência de orgasmo (1,4,5).

Alguns fatores psicológicos, além dos biológicos já citados, têm sido relacionados à disfunção orgásmica feminina (1,6):

· falta de desenvoltura do parceiro;

· rejeição ao parceiro sexual;

· hostilidade em relação aos homens;

· receio de dano à vagina pela relação sexual;

· sentimentos de culpa da mulher em relação ao sexo e aos impulsos sexuais;

· deficiência feminina em assumir o papel erótico;

· temor à satisfação plena ou à perda de controle ou comportamento agressivo, destrutivo ou violento associados ao orgasmo;

· medo de engravidar;

· traumas sexuais (abusos, defloração dolorosa);

· fatores situacionais (falta de atração, fadiga, conflitos conjugais, depressão, coito interrompido, etc.).

Fonte(s):


•   (1) Abdo CHN. Sexualidade Humana e seus Transtornos. 2a ed. São Paulo: Lemos Editorial; 2000.
•   (2) Associação Psiquiátrica Americana. Critérios diagnósticos do DSM-IV: referência rápida. 4a ed. Porto Alegre: Artes Médicas; 1994.
•   (3) Bricarello SGA, Nesttarez JE, Tosi AV. Disfunção sexual feminina. Rev Bras Med 2000;57(5):388-404.
•   (4) Raboch J, Bartok, V. Coitarche and orgastic capacity. Arch Sex Behav 1983;12:409-14.
•   (5) Raboch J, Bartok, V. Menarche and orgastic capacity. Arch Sex Behav 1981;10:379-92.
•   (6) Sadock VA. Sexualidade humana normal e disfunções sexuais. In: Kaplan HI, Sadock BJ. Tratado de Psiquiatria. 6a ed. Porto Alegre: Artes Médicas; 1999. p. 1406-33.